Recomeçar

Recomeçar
Assim como a fênix meu destino é o de renascer das cinzas. Quando acredito ter me aproximado de algo, na verdade este é o momento de abandonar tudo e recomeçar. Sempre de uma nova forma. De uma nova maneira, para que assim eu possa viver muitas vidas em uma única vida. (By Edna Vezzoni)

domingo, 6 de outubro de 2013

Os Elementos:



Ar.
Direção -> Leste

Rege -> A mente, todos os trabalhos psíquicos, intuitivos e mentais. Conhecimento, aprendizagem abstrata, teoria, montanhas expostas ao vento, planícies, praias ventosas, picos de montanhas altas, torres altas, vento e respiração.

Hora -> Amanhecer.
Estação -> Primavera.

Cores -> Branco, amarelo vivo, carmim, branco azulado, pasteis.

Signos do zodíaco -> Gêmeos/ Libra/ Aquário.

Ferramentas -> Athame (punhal), Espada, Incensário, Turibulo, Varinha.

Athame -> É uma faca ritualística. De preferência com cabo preto e lamina de fio duplo. Em seu cabo pode ser gravado os símbolos mágicos. A Athame é utilizada para traçar círculos, exorcizar o mal e as forças negativas. Controlar e banir os espíritos elementais, e guardar e direcionar a energia durante os rituais. (a Athame substitui a espada).

A Faca da Arte deve ter se possível o cabo branco. É utilizada somente para trabalhos dentro da magia, tais como: colher ervas, cortar varetas, frutas, sagrar o pão ou bolos ritualísticos. Gravar runas e outros símbolos mágicos em velas e talismãs.
Espada -> É um objeto de defesa durante as cerimônias evocativas. Não deve ser usada para atacar. A Espada é um reservatório de força e energia que pode ser sacada à vontade, mas é necessário que você aprenda a especificar o seu objetivo. O “Poder” não tem critérios, segue sempre aqueles apontados pela pessoa que o orienta.

Turibulo -> É um incensório. Normalmente feito de alumínio, onde você queima ervas e resinas sobre as brasas incandescentes. É uma peça presa por três correntes, com furos nas laterais e na tampa.

Varinha -> É um bastão fino de madeira, feito de um galho de árvore. Símbolo da força, da vontade e do poder mágico. Deve ter aproximadamente 50 cm de comprimento.
A varinha representa o elemento Ar e é utilizada para invocar as salamandras em determinados tipos de rituais, traçar círculos, desenhar símbolos mágicos, direcionar a energia e mexer bebidas no caldeirão.

Espíritos do Ar -> Silfos, zéfiros.
Os Silfos são governados pelo seu Rei Paralda.

Fluxo de energia -> Energia total, mas em reuso; proteção, fortalecimento e prevenção.
Energias da terra em transformação, tomadas de decisão, assumir a responsabilidade pelos eventos atuais. Trabalhar as inconsistências pessoais.
Cor -> laranja e verde dourado.

Fadas e Elfos -> habitam o mundo das árvores, flores, ventos, brisas e montanhas.
Cor -> verde, marrom e rosa.
Fluxo de energia -> Energia criativa potencial. Propagação, intuição -> Contato com fadas e outros seres sobrenaturais. Fortalecimento da ligação com os seres e os protetores sobrenaturais que nos rodeiam. Energia que flui dos Deuses dos Bosques e das árvores.

Fadas domésticas -> das plantas domesticas. Principalmente das “azedinhas”.
Cor -> azul claro, violeta.
Fluxo de energia -> Energia que trabalha em direção à superfície, purificação, crescimento, cura. Amar a si mesmo. Aceitar a responsabilidade por erros passados. Perdoar a si mesmo e planejar o futuro.

Arcanjo do Ar -> Rafael -> Arcanjo do Resplendor que cura.
É líder dos poderes. Sua missão é a de curar a terra e, através dele a terra proporciona um abrigo para os humanos, a quem também cura.
Dirige raios espirituais para hospitais, instituições e lares onde esses raios curativos se fazem necessários.
Rafael está ligado ao intelecto, curiosidade e instrução nas ciências.
É guardião e tesoureiro dos talentos criativos. Seu símbolo é uma Espada ou Seta bem afiada. Traz consigo um frasco de ouro contendo balsamo.
Sua hora é o amanhecer.
Cores -> verdes suaves e todas as tonalidades do azul.

Símbolo do leste -> Circulo com um ponto no centro.

O vento do leste se chama Euros. O sentido é o olfato. A joia o Topázio.

Incensos -> Olíbano, gálbano, lírio, lavanda, verbena e casca de laranja.

Plantas -> Mirra, amor-perfeito, olíbano, prímula, verbena, violeta, milefólio, carvalho, rainha dos prados, gerânios.

Animais -> Pássaros, especialmente a águia e o falcão.
Árvore -> Álamo tremedor (choupo branco).

As Deusas (entre muitas) são:

Aradia – filha da Deusa Diana. Regente da Lua e da Terra.

Ariannhord – Deusa galesa da Lua, do amor, da sexualidade e da fertilidade. Padroeira dos nascimentos.

Cardéia -> Deusa romana. Guardiã da vida doméstica, protetora das portas e das crianças contra os espíritos malignos.

Noitu -> Deusa brasileira, protetora dos animais selvagens.

Nut – Deusa egípcia do céu estrelado.

Usas -> Deusa hindu da alvorada e do crepúsculo. (semelhante à Nut).

Os Deuses (entre muitos) são:

Shu – egípcio -> Deus do Ar.

Toth – egípcio -> Deus da sabedoria e da escrita.

Mercúrio -> romano –> Deus da comunicação e das viagens, mensageiro dos deuses, padroeiro dos comerciantes.

Enlil -> sumeriano -> Deus do Ar, das tempestades e das montanhas.

Dagda – irlandês -> O Deus mais antigo dos Tuatha-di-danann

Trabalho ritual com o Ar – Aurora, nascer do sol.
Objetivos: conhecimento, inspiração, audição, harmonia, liberdade, revelação da verdade, encontrar coisas perdidas, movimento, capacidades psíquicas.

(Elaboração – Edna Vezzoni)

Nenhum comentário: